The Coming Fight Between Engineers And Druids

Posted in Uncategorized with tags , , , on janeiro 22, 2013 by efeefe

Paul Saffo, na conversa anual do Edge.org:

There are two kinds of fools: one who says this is old and therefore good, and the other who says this is new and therefore better. The argument between the two is as old as humanity itself, but technology’s relentless exponential advance has made the divide deeper and more contentious than ever. My greatest fear is that this divide will frustrate the sensible application of technological innovation in the service of solving humankind’s greatest challenges.

The two camps forming this divide need a name, and “Druids” and “Engineers” will do. Druids argue that we must slow down and reverse the damage and disruption wrought by two centuries of industrialization. “Engineers” advocate the opposite: we can overcome our current problems only with the heroic application of technological innovation. Druids argue for a return to the past, Engineers urge us to flee into the future.

via Edge.org.

Texto sobre tecnomagia de Pedro Soler « catahistorias

Posted in Uncategorized with tags , , on novembro 30, 2012 by efeefe

Texto sobre tecnomagia de Pedro Soler « catahistorias.

Tecnoxamanismo

Posted in Uncategorized on julho 15, 2012 by efeefe

Replicando aqui a metodologia publicada por Fabi Borges e Camila Mello. Mais em TECNOXAMANISMO – UMA METODOLOGIA COMPARTILHADA – Por Camila Mello e Fabiane Borges « catahistorias.

Uns consideram o termo fruto de um profundo exotismo, outros criticam o termo acusando-o de apropriação indevida das culturas tradicionais. Outros questionam a falta de “poder espiritual” de tais procedimentos, mas outros, os que nos interessam, vêem na conexão entre as duas formas de conhecimento, indícios de uma nova ética, uma ética ecológica, ou ainda uma ética transformadora que conceba a tecnologia não como um projeto evolucionário, mas como um organismo vivo, interdependente do seu meio e, assim como o próprio planeta Terra, capaz de auto-regulação.

 

É uma tentativa de juntar duas formas de conhecimentos que são constantemente separadas. A bruxa e o cientista. O curandeiro e o médico. A feiticeira e o robô. A convergência entre técnica e xamanismo é uma aposta que tenta reparar erros antigos de má distribuição de saberes e julgamentos deterministas precipitados a respeito das formas de conhecimento. Por isso apela ao animismo, às religiões da natureza, as visões de mundo mais tradicionais, ou ainda ancestrais, a fim de trazer à tona suas sincronicidades, fazê-las interpenetrarem-se. Por outro lado investe em um futuro mais equilibrado, onde o projeto de super desenvolvimento das máquinas não acabe por criar uma fissura irremediável entre humanos e máquinas, fabricando assim robos escravizados, hackeados em toda sua expressão, dessubjetivados. O uso do nome então pode ser visto como um ativismo da matéria, um investimento na subjetividade da matéria, no atravessamento de diferentes naturezas comunicantes entre si, desfocando a concepção entre orgânico e inorgânico. Também pode ser pensado como uma forma bem humorada de lidar com catástrofes iminentes, ou ainda, como uma utopia contemporânea. De qualquer modo, a idéia da fusão desses conhecimentos vem da vontade de fortalecer seus atributos mais vigorosos: a performance técnica do xamã e a magia da máquina. Ainda não sabemos que ética se constitui nessa transfusão, nosso deleite é investigar processos.

 

Para ler mais clique nesse pdf: TecnoXamanismo-nanopolitics

PDF

Posted in Uncategorized with tags , , , , , on maio 8, 2012 by efeefe

Gerei um PDF (automaticamente, sem muita preocupação com diagramação e afins) de todos os posts e comentários deste blog nos últimos cinco anos, para levar para a Nuvem durante o encontro de Tecnomagias. O PDF, com 1.2 Mb, está disponível aqui.

Poder, feitiços e fetiche

Posted in Uncategorized with tags , , , , on março 29, 2012 by efeefe

No Envisioning Power, de Eric Wolf, via Rafael Evangelista:

Marx drew the concept of fetishism from studies of religion. The term came from the French scholar Charles De
Brosses, who described in his book on the Culte des Dieux fétiches (1760) the behavior of West African carvers who
supposedly first sculpted wooden images (“a thing made,” feitiço in Portuguese), to then treat them as if they were
divine beings. De Brosses, like others after him, saw in this “fetishism” evidence of primitive, nonlogical modes of
thought. Marx, however, applied it to the structural effects of a particular mode of mobilizing social labor – that of
capitalism.

Xamãs

Posted in Uncategorized on março 29, 2012 by efeefe

via Inteligência Natural, por Jeremy Narby | Trabalho Sujo:

Os xamãs utilizam suas mentes para aprender a respeito do mundo. Eles possuem técnicas distintas para modificar suas consciências. Afirmam que podem comunicar-se com outras espécies utilizando uma linguagem indireta e densamente metafórica. Os espíritos da natureza, eles afirmam, são fundamentalmente ambíguos, gostam e desgostam, e não podem ser reduzidos a uma simples descrição; isso justifica a metamorfose ser a única maneira correta para nomeá-los.

Technomage – Wikipedia, the free encyclopedia

Posted in Uncategorized on março 29, 2012 by efeefe

The Technomages are a group of sentient beings from the fictional Babylon 5 universe. The technomages shown in the television series are primarily human, but in the “Technomage Trilogy” books, apprentices and mages of other races including Centauri are named. They are described as using “science to create the appearance of magic”. Galen, a Technomage, was a regular character on the spin-off series, Crusade.

viaTechnomage – Wikipedia, the free encyclopedia.