Arquivo para davis

Um novo Castañeda

Posted in Uncategorized with tags , , , , on fevereiro 22, 2011 by efeefe

Do blog de Hermano Vianna:

Então continuo esperando um novo Castañeda, para nossa época cyberpunk. Um Paulo Coelho tecno e radicalmente psicodélico. Por vezes acreditei que meu querido amigo Erik Davis poderia assumir esse papel. Até dei esta ordem: “vire o novo Castañeda!” Mas ele não me obedeceu e no lugar de best-sellers, resolveu fazer pós-graduação em teologia. Erik é autor de Techgnosis, relato completo sobre as conexões entre esoterismo e tecnologia. Também escreveu: um tratado brilhante sobre o disco “Led Zeppelin IV”, aquele de “Stairway to heaven”; um guia sobre a Califórnia visionária; e acaba de lançar “Nomad codes”, coletânea de ensaios sobre assuntos tão diversos como o Goa trance, o dub de Lee Perry e novos cultos xamânicos birmaneses.

(foi justamente o Hermano quem me deu a dica do Techgnosis, há alguns anos)

Anúncios

Ethereum

Posted in Uncategorized with tags , , , , , , , on setembro 21, 2009 by efeefe

E ainda um pouco mais do Techgnosis de Erik Davis, em tradução livre.

À medida que o mesmerismo perdia a popularidade na Europa do século XIX, ele se tornava uma verdadeira febre nos Estados Unidos. Milhares de pessoas se submetiam às mãos magnetizantes de mesmeritas andarilhos para seu reumatismo, dores menstruais, enxaqueca e melancolia.  (…) Ao mesmo tempo, mesmeritas mais sérios estavam penetrando os miríades de dimensões da consciência humana, e explorando linguagem quase eletromagnética a cada passo. Escalando um arranha-céus neoplatônico de estados alterados, pacientes mesmerizados (hipnotizados) contavam ter sentido “sensações de formigamento” ou “vibrações” fluindo através de si. Alguns experimentavam “ondas de energia” e viam auras de luz. Nos transes mais profundos, algo como consciência cósmica aparecia, à medida que a mente do paciente, dizia-se, alcançava a identidade com a própria força do magnetismo animal. Clarividência, telepatia e outras singularidades paranormais surgiam – fenômenos que o mesmerita Stanley Grimes atribuía ao ethereum, uma “substância material ocupando espaço, que conecta os planetas e a terra, e que comunica luz, calor, eletricidade, gravitação e emanações mentais de um corpo para outro e de uma mente para outra”. Perceba-se que, juntamente a forças físicas, o ethereum de Grimes também comunica “emanações mentais” – ou seja, informação.