Magia e fluxo

Duende na lista metarec:

A magia está no fluxo de todas as coisas (e pessoas).
A mágica está nas relações. Se couber mágica (e poesia) em nossas relações, lá estaremos em conexão com a magia que flui em tudo.

Vale lembrar que em vários grupos, o ensinamento técnico e de procedimentos era indistinguível dos ensinamentos mágicos/místicos/numinosos. Preparar a terra para o plantio era acariciar uma deusa, fazê-la agrado para que ela lhe desse a colheita. Observar os festivais e respeitar os deuses de todas as coisas era também uma forma de manter o bom fluxo do grupo em todos os níveis. Arte e técnica, magia e tecnologia, só foram distinguidas por conta de nossa ignorância de sua total unidade, e de nossa unidade com todas as coisas.

é tudo um.

2 Respostas to “Magia e fluxo”

  1. No livro Handbook of semiotics, (Winifried Nöth) há um artigo sobre mágica. Diz ele que há dois planos,

    – o da ação, onde a mágica comete um engano pragmático no semelhante produz semelhante (embora isso valha muito para real lacaniano, não funciona no mundo físico)
    – o da interpretação dos eventos do mundo, onde a mântica induz o intérprete a um erro semântico, no “semelhante diz o semelhante”.

    Só que essa avaliação dele (Nöth) vaza nas duas instâncias. Primeiro, porque “semelhante produz semelhante” é sempre um ponto de partida interessante, já que temos liberdade total de identificar semelhanças (ponto de Walter Benjamin em “A Doutrina das Semelhanças”). Escolher um plano do real onde se pode ver uma metáfora é organizar um universo de discurso. Depois disso, a tentativa e erro tem cada vez menos erro. Segundo, porque na deriva dos entes (por exemplo, na evolução dos organismos) toda interpretação age sobre o real. Exemplo: se eu acho que tal folha com formato de rim faz bem para os rins, vou por meus filhos e netos e gerações depois de gerações comendo e escolhendo, dentre aquelas plantas, os indivíduos que tem mais propriedades diuréticas… um dia, elas vâo realmente fazer muito bem para os rins. Os entes no real estâo em co-deriva.

    Não é mística, é pragmatica – ou taoismo, o que dá tudo no mesmo.

  2. mas… pragmática obscurecida não deixa de ser mística, né? mais do que selecionar entre as plantas os indivíduos com mais propriedades diuréticas, também tem a influência somática do discurso e da crença. folhas-placebo…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: